11.9.05
Charlie e a Fábrica de Chocolate / Charlie and the Chocolate Factory

charlie


Roald Dahl foi um profícuo autor, tendo o seu trabalhado servido de inspiração a algumas peças de teatro e filmes. Entre os livros infantis que escreveu, encontra-se Charlie e a Fábrica de Chocolate, escrito em 1964. Esta obra conheceu uma adaptação cinematográfica intitulada Willy Wonka and the Chocolate Factory em 1971, realizado por Mel Stuart e com Gene Wilder no papel principal. Curiosamente, no ano seguinte à estreia do filme, Dahl continou as aventuras destas personagens em Charlie e o Elevador de Vidro.

Quarenta e um anos após a 1ª edição do livro, Tim Burton realiza uma nova adaptação cinematográfica, trabalhando com o actor Johnny Depp pela 4ª vez (sendo que a 5ª, Corpse Bride, estreia também este ano).

Após um longo período em que não foi visto por vivalma, o excêntrico proprietário de uma fábrica de chocolates Willy Wonka, promove um concurso à escala mundial para escolher cinco crianças que terão direito a visitar a sua fábrica durante um dia. Charlie, um rapaz que vive com a sua família numa casa muito pobre, é um dos vencedores, o que lhe permite entrar no fantástico mundo de Wonka.

Embora a interpretação de Depp seja das mais exageradas de sempre, enquadra-se perfeitamente no universo criado por Burton (excepto os seus encontrões ao elevador de vidro, demasiado forçados), que nos transporta para uma outra realidade, com uma fotografia espantosa e que merece ser vista no grande écran. Inclusivamente, a nível visual, existem algumas referências à cinematografia de Burton, bem como um piscar de olho a outras obras, como Psycho e 2001: A Space Odissey.

As canções dos Oompa Loompas acabam por desgastar um pouco, tendo sido a minha preferida a que se socorreu do balé aquático, não só pelo inesperado mas pela própria dança fluvial, originando largos sorrisos e gargalhadas. Aliás, ouviram-se várias gargalhadas durante toda a sessão a que assisti e tive a experiência inédita de presenciar (e participar) numa sessão de gargalhadas por parte do público, mal o filme terminou e começaram os créditos, que substituíram assim um eventual aplauso e manifestaram quiça uma sensação de que tínhamos sido agradavelmente surpreendidos e de uma forma extremamente divertida.

Deixe-se também surpreender ;)

Posted at 12:03 by enanenes
Deixe a sua impressão  

10.9.05
Casei com uma Feiticeira / Bewitched

Bewitched


Esta película revivalista tem a realização de Nora Ephron, contando com um grupo de actores consagrados, como Nicole Kidman, Michael Caine ou Shirley MacLaine. Quarenta e um anos após a sua estreia nos EUA, este filme retoma a série mundialmente famosa, que teve direito a 8 temporadas.

Em vez do enredo ser um simples remake desta série de culto, a abordagem é feita de um ângulo diferente. Jack Wyatt, um actor que está a passar um mau momento na sua carreira, aceita participar numa nova versão televisiva da série Casei com uma Feiticeira, interpretando Darrin. Entretanto, escolhe Isabel para o papel de Samantha, ignorando que aquela é na realidade uma feiticeira que está a tentar iniciar uma nova vida no seio dos meros mortais.

Kidman interpreta extremamente bem a personagem Isabel e o papel do seu pai assenta que nem uma luva a Caine. Pena é que o filme caia rapidamente na banalidade de mais uma comédia romântica para este Verão de 2005, sem conseguir obter a frescura e inovação do produto original.

E que tal optar por ver a série original em DVD, hmmmm?

Posted at 23:21 by enanenes
Deixe a sua impressão  

31.8.05
volto já ;)

interrompemos a sessão para comunicar que vamos tirar uma semana de férias; voltamos já ;)

Posted at 20:00 by enanenes
Deixe a sua impressão  

19.8.05
Olá Amigos / Saludos Amigos

Olá Amigos


Realizado por N. Ferguson, W. Jackson, J. Kinney, H. Luske & B. Roberts, a 6ª longa-metragem da Disney (com aproximadamente 40 min), data dos anos 40 e foi nomeado para 3 Óscares.

Segmentos com imagens reais da equipa Disney a fazer turismo na América do Sul e a registar as suas impressões sobre a forma de ilustrações, fotografias, pautas musicais e muitos souvenirs, alternam com 4 curtas-metragens de animação. No Lago Titicaca, Donald mede forças com um teimoso lama. A seguinte animação conta as aventuras de Pedro, um pequeno avião, na cordilheira dos Andes. Um Pateta sob a forma de cowboy do Texas é transformado num gaúcho argentino. E, em Aquarela do Brasil, o Zé Carioca (sim, trata-se da primeira aparição do famoso papagaio) mostra o Rio de Janeiro ao Donald.

O DVD dispõe de um documentário relativamente longo intitulado "Ao Sul da Fronteira com Disney", que relata as experiências vividas por Walt Disney e os seus empregados nesta viagem.

Se Disney procurava inspiração paraos seus filmes e expor os norte-americanos à cultura dos países da América Latina, a verdade é que esta película hoje se transformou num testemunho com flashes do que se era vivenciado naquela época nos países visitados, não só presentes no filme, mas principalmente no documentário extra que o acompanha. E o seu valor está sobretudo na quase ausência de subjectividade que uma produção norte-americana poderia imprimir.

Fica também registada a importância da composição musical na animação de outrora, ou na equipa de Disney não tivessem ido músicos que estudaram em primeira mão as músicas folclóricas.

Quanto às 4 curtas, julgo que serão do agrado de todos. O meu destaque vai para a Aquarela do Brasil, não só pela importância histórica da criação do Zé, mas pela mesclagem da música com a imagem.

Posted at 15:36 by enanenes
Deixe a sua impressão  


   

<< December 2017 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 01 02
03 04 05 06 07 08 09
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31

Outros blogs:
Séries de TV
Banda Desenhada
CULTura PoP


Visitantes:

If you want to be updated on this weblog Enter your email here:




rss feed